domingo, 22 de maio de 2016

Indício


Escrevo poesias sinistras
Para muitos sem sentido
Declamadas em falsete
Desespera o celerado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva o seu comentário aqui.