quinta-feira, 14 de agosto de 2014

As coisas insuportáveis para mim são:

·         Participar de reuniões sem objetivo e intermináveis;
·         Assistir palestras sem abertura para questionamentos e debates;
·         Entrar no quintal de parente ou amigo e me deparar com o cachorro solto e, ainda ter de ouvir a célebre frase - "não tenha medo, ele não morde";
·         Observar pessoas que riem de algo que não tem graça só para ficarem bem no contexto;
·         Conversar com alguém que, para ser feliz, depende somente das minhas ideias e ações;
·         Ter por perto gente que conhece o meu caráter e só se liga nos meus erros;
·         Aceitar pessoas incrédulas diante das minhas verdades e das verdades absolutas;
·         Ouvir de alguém que erra, falar que errou, por minha culpa;
·         Engolir elogios duvidosos;
·         Fitar nos olhos de quem fala e este disfarçar o olhar;
·         Ser acusada constantemente de uma atitude não crassa, mas infeliz, que cometi no passado;
·         Torna-me para alguém que se dizia amiga, a pior pessoa do mundo, quanto não fingi civilidade;
·         Receber telefonemas de quem não tem nada para fazer e, ter de escutar assuntos recursivos e infindáveis;
·         Telefonar para essa mesma pessoa que só pode me atender quando está atoa ou sem companhia;
·         Ter o amor de uma pessoa desde que eu seja quem ela imagina e não quem sou;
·         Aceitar viver a vida dos outros e não poder ser eu mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva o seu comentário aqui.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.